Análise de Sonic 4

sonic4-21-500x281

Um dos personagens mais carismáticos dos games passou uns anos recebendo vários jogos de qualidade bem aquém do que realmente merecia, uma época majestosa com grandes jogos no Mega Drive, e após isso, grandes fiascos, principalmente em 3D. Talvez o único jogo que se salve dessa inclusão no 3D seja o primeiro Sonic Adventure, depois disso, é difícil entender como a Sega conseguiu perder a mão, lançando jogos irritantes e bugados como Sonic Heroes, que marcou a estreia do mascote azul em outros consoles que não eram da Sega.

Várias foram as tentativas, jogos de corrida, de esportes, outros em 3D para as mais diversas plataformas, até o lançamento de Sonic Unleashed, que prometia mesclar 3D com 2D, seria ótimo, se não o jogo não fosse extremamente monótono e se não tivesse inventado de transformar o personagem em um lobisomem extremamente lento. Recebendo duras críticas, optaram pelo óbvio, dar ouvido aos fãs, e daí surgiu Sonic 4.

Finalmente resolveram voltar às raízes, lançar um jogo tradicionalmente em 2D, uma seqüencia direta dos clássicos do Mega Drive, um jogo simples, com um enredo raso, com fases com vários caminhos, inimigos tradicionais, não poderia dar errado. De certa forma não deu, mas também não é tudo aquilo que os fãs queriam.

Graficamente, o jogo é bonito e agradável, os cenários são em 3D enquanto o personagem 2D em alta definição, tem o visual “hardcore” dos últimos jogos, visual inaugurado no Dreamcast com Sonic Adventure, as fases são bem detalhadas e seguem fielmente o visual característico dos jogos antigos da série, inclusive, as fases são inspiradas nos primeiros jogos. Mas como praticamente tudo nesse jogo, nem tudo são rosas, os gráficos são agradáveis, mas a impressão é de que poderiam ser muito melhores, talvez por limitações do Wii e do Xbox 360 em relação a tamanho dos jogos, alguns fatores podem ter sido comprometidos, não que isso afete na diversão, mas como dito, quando jogamos temos a impressão de que poderiam ter trabalhado melhor em vários fatores do jogo.

O audio peca um pouco, os efeitos sonoros também são os mesmos clássicos, como o barulhinho que Sonic faz quando pula e outras musiquinhas como o final de fase, tudo praticamente copiado e colado do Sonic 2. Seria legal se fizessem isso com as músicas também, ou pelo menos terem utilizado as tradicionais e modernizado, seria lindo ouvir a música tema de Green Hill Zone do primeiro Sonic na Splash Hill, primeira fase de Sonic 4. No final das contas, as músicas ficaram com pouca identidade, e acabam passando despercebidas.

Uma das grandes queixas dos fãs mais hardcore, é em relação à física do jogo, para aqueles mais críticos, o personagem tem um pulo estranho se comparado com os clássicos além de que demora mais para começar a correr realmente rápido. Para um jogador que quer apenas se divertir, isso é o de menos.

Algumas novidades quanto a jogabilidade foram a adicionadas e ficaram bem legais, como por exemplo o Homming Attack, característico dos jogos 3D, onde o personagem pula e o inimigo mais próximo fica com um alvo sobre ele, daí apertando o botão de pulo novamente, Sonic se projeta diretamente para o inimigo, normalmente haverão outros em fileira no ar, o que possibilita alcançar lugares mais distantes e inacessíveis de outras formas. Por outro lado, se comparado com Sonic 3, algumas coisas ficaram faltando, como por exemplo aquelas bolhas que protegem, haviam 3, uma de água que fazia Sonic quicar no chão, uma de fogo que fazia virar uma bola de fogo e se projetava para a frente quebrando alguns obstáculos, e uma elétrica, que dava pulo duplo e ainda atraia anéis em volta. Em Sonic 4 temos apenas a que protege sem fazer nada demais.

A história do jogo é rasa, praticamente nula, não há nenhuma introdução e nem final quando terminamos, algo similar aos jogos clássicos, e na real, isso não faz a menor falta, o que realmente queremos quando jogamos Sonic, é ter um jogo divertido, e para os mais velhos, com uma certa nostalgia. Passamos por 4 fases divididas por 4 atos, onde o quarto ato é o chefão da fase, depois disso vamos para o espaço onde enfrentamos todos os chefes novamente, bem estilo “Mega Man” para ai sim enfrentar o chefão final. Os chefes sãos fáceis e não apresentam nenhum trabalho, na verdade, o jogo inteiro é bem fácil, é possível fechar tudo em menos de duas horas, incluindo as esmeraldas que estão em fases especiais no estilo do Sonic 1, porém estas sim apresentam um grande desafio, e como de praxe, uma vez que obtemos as 7, conseguimos fazer o Super Sonic, versão super Saiyajin do ouriço, que é bem agradável de se jogar.

Para quem gosta de desafios, existem 14 conquistas interessantes, como por exemplo passar a primeira fase em menos de 1 minuto. Existe até um ranking online que guarda o tempo dos jogadores pelas fases mundo a fora.

Sonic 4 consegue resgatar o personagem que estava no limbo há anos com péssimos jogos, é um bom jogo sim e merece crédito, mas há muito o que melhorar. O “Episode 1” deixa claro que teremos mais fases para o jogo, que podem adicionar mais personagens, já que neste apenas o Sonic aparece, com um pouco de sorte, a Sega pega o feedeback desta primeira tentativa e melhora ainda mais o jogo. Vale a pena ser jogado, por 15 dólares temos um jogo bom de plataforma que pelo menos o objetivo de nos levar a uma época que não volta mais, mas infelizmente, um pouco curto.

Para complementar a análise, mas fugindo um pouco dela, o engraçado é que Sonic 4 era um dos jogos mais aguardados este ano, e por incrível que pareça, conseguiu ser ofuscado por outros dois jogos do próprio ouriço, um deles o Sonic Colous, lançado para Wii e DS, que muitos estão dizendo ser o melhor jogo do Sonic em anos! E outro, é o já falado aqui, não é um jogo oficial, é algo novo criado por fãs porém usando toda a mecânica e visual clássico, porém com gráficos muito mais trabalhados do que Sonic 4. Vale a pena conferir os dois também!

[easyreview title=”Sonic 4 Episode 1″ cat1title=”Gráficos” cat1detail=”São em alta definição mas sentimos que poderia ser melhor” cat1rating=”3″ cat2title=”Som” cat2detail=”Talvez a escolha por modernizar músicas clássicas seria a melhor, algumas ficaram sem muita identidade.” cat2rating=”3″ cat3title=”Jogabilidade” cat3detail=”Não é extremamente fiel à original, mas a adição de alguns elementos a torna satisfatória.” cat3rating=”4″ summary=”Coloca o personagem em seu devido lugar, é uma bela tentativa, um jogo divertido, e podemos esperar algo muito melhor nos próximos se mantiverem esta linha.”]

[nggallery id=21]

Posts Relacionados

Análise: Sonic Generations E lá se passaram 20 anos desde que a Sega aposentou Alex Kidd por um personagem mais carismático para concorrer com o Mario da Nintendo. Um pequ...
Sonic 4 Episódio II – Quase resgata os tempo... Sonic é um personagem bacana, já nos rendeu muitos momentos de diversão desde seu debute no Master System no começo da década de 90, depois passamos p...
Green Khill Zone – Trololo Seu domingo ta terminando, amanhã é segunda, você vai ter que levantar cedo pra trabalhar ou estudar. OK, isso é uma merda, mas que tal dar uma risadi...
Sega prepara relançamento de jogos de Dreamcast Após 12 anos do lançamento da última investida da Sega no mercado de consoles, com o Dreamcast, a Sega parece querer manter pelo menos seu espírito vi...

Venão

Gamer que começou com um Master System e passou por todas as gerações após isso. Podcaster, Youtuber e Web Developer. Se inscreve lá no canal do Youtube pra conferir todos os tutoriais, gameplays dos melhores games e trocar ideia em todas as lives! Clique aqui!

Se inscreva no canal para conferir os melhores tutoriais e gameplays!